Abrir o próprio negócio não é uma atividade extremamente simples como ter uma ideia, mas também está bem longe de ser um bicho de sete cabeças como ditam por aí.

Entretanto, a maior dificuldade encontrada pelos novos empreendedores é manter o negócio de pé. De acordo com o estudo Sobrevivência das Empresas no Brasil, realizado pela Fundação Getúlio Vargas em parceria com o Sebrae, 1/3 das empresas fecham em 2 anos no Brasil.

Por este motivo, separamos algumas dicas sobre como você pode começar o seu negócio, atentando a alguns detalhes cruciais para mantê-lo firme e não ter prejuízos a médio e longo prazo.

1 – Conheça o que vai investir

Todos os especialistas em negócios são unânimes ao dizer que todo novo empreendedor deve, antes de tudo, conhecer o negócio com o qual pretende se envolver. É absolutamente fundamental ter afinidade com a atividade, um grande erro dos empreendedores iniciantes é começar um negócio apenas com base em suas paixões de fim de semana e não após um bom estudo de mercado.

2 – Prepare-se financeiramente

Coloque todos os possíveis gastos na ponta do lápis. Preste atenção principalmente no capital de giro. Muitas operações acabam morrendo nos dois primeiros anos, mesmo que a ideia de negócio seja legal, por falta de dinheiro reservado.

3 – Capacitação é fundamental

Mesmo que tenha afinidade e conhecimento da atividade que escolheu, é importante se capacitar. Para isso, o Sebrae oferece vários cursos, palestrar e workshops.

4 – Separe a conta bancária da empresa da sua conta pessoal

Nunca deixe que as finanças pessoais se misturem com as da empresa. Se não agir desta forma, a empresa não cresce. O empreendedor deve saber se adequar a receber um “salário”, como um empregado, e adequar a sua vida a esse valor. Caso contrário, a tendência é o negócio ruir.

5 – Não confunda faturamento com lucro

É do faturamento que saem todos os custos variáveis, como salário de funcionários, pagamentos de impostos e de fornecedores, por exemplo. Lucro é tudo aquilo que sobrar após quitar todas as dívidas.

Falando em impostos, é importante ter uma assessoria de profissionais especializados em gestão tributária e financeira para definir em qual modelo a empresa vai se enquadrar para ter menor carga tributária, sem, contudo, sonegar ou fraudar o Fisco.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *